quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Tentativa de Conto erótico - Ultimo capítulo

Para que não leu os capítulos anteriores: I II III IV

O Amor é uma cena cotidiana, em todas as suas fases e faces


"Mas o poema acenou pra acordar nosso amor. Quando a noite me revela, sou eu e ela, eu e ela, eu e ela" Eu e ela Vander Lee


Os movimentos dele eram calmos e suaves. Não apresentavam pressa. Despreocupado e de forma doce ele se permitiu passear pelas minúcias que desenhavam o rosto dela. Suas mãos pareciam saber exatamente o que fazer; como tocar/onde/ para provocar o quê e ao mesmo tempo, seus olhos e as reações do seu corpo eram novas e díspares, como se ele tateasse uma face desconhecida

Com os sentidos embriagados com a fragrância da pele, o menino ia se deixando levar pelo calor de tudo que ela o provocava simplesmente por estar ali, próxima, alcançável. Seus olhos permaneciam fascinados com o rubro da pele da menina

Recostou a cabeça entre o pescoço dela e com sussurros calmos e descompassados, foi permitindo que os lábios proferissem palavras sinceras que revelavam seu encanto

Das mãos, era impossível negar. Gostavam é de estar mesmo pregadas na pele dela, sentindo o calor, a maciez e as vibrações da carne, por isso, mantinha os dedos entrelaçados aos dela, brincando pacientemente, todo cheio de encantos

E os olhos, completamente vidrados, não se cansavam de brilhar. Mantinha-os fechados, enquanto sentia o calor que emanava dos poros dela


.


Quanto a ela, se sentia a mulher mais bela em seus braços. Gostava de ver o menino todo encabulado quando diante de tantos desejos e trejeitos ele não sabia o que fazer e ela com todo seu jeito de menina-mulher que era, ia o permitindo descobrir quase sozinho, como seguir

Era doce o modo que seus corpos expressavam seus desejos e sentimentos, do mesmo modo, que era adocicado o sabor dos lábios dele e a pele que emanava um aroma quase doce – digo quase, porque vinha com um azedinho fundo, como o cheiro da fumaça do picolé de limão

Ainda possuíam vigor da juventude, tinham o gosto das lembranças da infância nos lábios e quando seus corpos se encontravam, sabiam bem o que fazer. Fosse como fosse, a cada ato eles iam descobrindo um instante a mais de encanto, um risco a mais de fascínio um no outro


.


E mesmo depois, quando mais tarde já estavam vestidos, a pele dela continuava alternando, de incrivelmente branca para ardentemente rubra quando ela topava com ele quase sem perceber e ele todo encabulado tentava se concentrar em outras coisas enquanto ela desfilava limpando os cômodos da casa.


[Acabou... rsrs... Bom espero que tenha ficado ao menos com conexão entre os capítulos, que tenha dado pra compreender. Fim. "Um" mês depois o presente da Ba-bi está dado. Obrigada a todos que passam por aqui. Beijos]

15 comentários:

Rodolpho Padovani disse...

Tati, esse fechou com chave de ouro, vc se superou a cada um, pintando a cena diante de nossos olhos, de uma leveza que só vc consegue.
Gostei muito do texto como um todo.
Parabéns e um presente como esse não tem como não gostar...

Bjs =)

Clara disse...

Essa é a parte que mais gostei! Muito doce o desfecho. Paixonites de adolescência são sempre cercadas de um encanto único.

Abraço!

Juliana Mendes disse...

Lidno...
Belíssimo..
Geralmente a parte mais dificil é o fim do conto...
A lição... O modo como termina o romance envolvido durante o conto...
E esse, com certeza terminou...Beeemm a nossa vontade...
iremos esperar que ele não se contente em conseguir se concentrar!
(;

Juliana Mendes disse...

Tatii, eu sempre adoro suas dicas lá no blog..
mas desta vez, eu discordo só do ainda e por hora...
Quer dizer...
ñ descordo...
é só que ele foi feito realmente p encomodar...
Afinal ... uma coisa que n aconteceu e que eu desejo é algo que me incomoda..
.entendeu meu ponto?

E além do mais eu gostava. POR HORA
De me esparramar nos poemas que você não escreveu pra mim. AINDA.

se eu escrevesse da forma que você disse, talvez passasse despercebido...
E além do mais eu gostava de me esparramar nos poemas que você ainda não escreveu pra mim. ... Fica simples entende?
^^

Mas eu gostava de me esparramar nos

Monique Premazzi disse...

Achei esse post super envolvente! DEMAIS tati *-* Me da a receita pra contos perfeitos? xx

Marcos Almeida disse...

O bom do erotismo não é o a coisa explícita mas a fantasia que ronda o ambiente. Capitaste bem a mensagem o texto é incrível, Um verdadeiro presente a todos os seus leitores!

Abraços do menino em fragmentos.

Nini C . disse...

Que lindo desfecho, gostei muito mesmo...
Até que as sutilezas são tão tão ruins, rs...

beijos...

*Amanda* disse...

Olá Tati!!!!
Acompanhei todos os textos... e adorei a forma como vc escreve... mas a coisa mais curiosa... é que sempre que eu leio textos desse tipo agora eu penso: "a Babi gostaria desse texto"... kkkkkkkkkk...

bjs*

Vanessa Monique disse...

Oie,fazum tempão q não venho aki.
Perdi os outros caps, vou ler com calma.
@vanimonique
:*

Babizinha disse...

Que... Sem palavras. Tudo o que eu fosse falar seria o que os demais aí acima já falaram: você se superou; envolvente e nos permitiu fantasiar!

E eu ri demais com o comentário da Amanda. >_< Olha, até pessoas que não me conhecem como blogueira e pessoa pensam em mim sem querer por causa desse tipo de conto. Me divertir com esses contos, de verdade, Ta-ti! Obrigada mais uma vez! ♥

Beijos
:*

Irene Moreira disse...

Tati

Gostei muito e mais a forma como soubestes descrever os detalhes de carícias e sensações que não é fácil. Lindo e o último capitulo colocou um The End de quero mais.

Beijos e bom domingo

Essência e Palavras disse...

hummm... Fechou com chave de ouro!

Gostei!

bejoss

Alessandra Almeida disse...

Fechou com chave de ouro meeeesmo. Seus contos são tão lindos Tati, de verdade, entra dentro da gente.
Beijos :*

Monique Premazzi disse...

Tati, saudades de você. Estou sumida demais daqui, isso me deprime demais, me sinto inútil sem ter o que postar. Parece que cada vez fica pior e eu nunca mais vou conseguir escrever de novo. Mas, as vezes simplesmente vem, como agora. Conselhos?

Enfim, sobre o conto, mesmo que eu não tenha acompanhado, ficou incrível esse final. Vindo de você, não posso duvidar de nada. Beijinhos <3

Grafite disse...

Que lindo! adooorei o final...

beiijo
*.*