domingo, 27 de novembro de 2011

Feito um futuro a sua espera



“O que virá depois? - pergunto então para a tarde suja atrás dos vidros, e me sinto reconfortado como se houvesse qualquer coisa feito um futuro à minha espera” Caio F. de Abreu



A tarde estava completamente cinza – a parede alaranjada que sempre infestava o céu durante aquele virar de dia não se fez presente, um vento frio tocou as folhas das árvores...

- Rebeca fechou os olhos, deslizou a língua nos lábios e sorriu enquanto o vento tocava-lhe suavemente a pele, o vento frio, tornavam as maçãs de seu rosto rosadas.

Todos os dias, naquele mesmo horário, quando o sol ia partindo atrás das coisas, Rebeca se permitia olhar aquele inicio e fim instantâneo que se misturavam. Ela ama o virar da tarde, aquele meio fim, meio inicio que tornavam duas coisas tão completas e mal divididas; tarde e noite.

Rebeca possuía um olhar bobo, gostoso, de Menina que sabia de tudo que era coisa importante. Não tinha muita idade, gostava de fazer perguntas tortas, dessas que nem Deus nos responde em voz alta – Não sabia muito era verdade, mas sabia do que lhe bastava;

A vida sempre seria isso, uma mistura de coisas completas, ainda que muitas dessas coisas venham antes ou depois de coisas que não terminam definitivamente, ainda que tudo que se viva completamente fique mal dividido dentro da nossa história, das horas ou dos dias.

Rebeca sempre seguia, e tinha sempre esse horário marcado com o tempo, onde as coisas que se misturavam, formando uma má divisão, ia dando espaço, alterando e determinando a existências de coisas completas pra se viver e desfrutar.


"Talvez as próximas postagens demoram mais ou bem menos tempo do que essa demorou, mas o importante é que de algum jeito, seja dentro do tempo que for, elas estarão presente. Quando digo que estou tentando, acredite; é verdade. Como o vento vai, eu vou indo! E bem... Obrigada principalmente a Ba-bi pela ternura e amizade de sempre."

Um comentário:

Rodolpho Padovani disse...

Talvez as coisas mal divididas apenas se completam, afinal e sem uma não poderia haver a outra =)

Saudades de passar por aqui, Tati.
Beijos.