segunda-feira, 22 de abril de 2013

Sobre juntar pedras


Fernando, tendo juntado todas as pedras que lhes haviam lançado contra o corpo, as depositou aos pés daquele a quem ele aprendera a docemente chamar de Pai. Arrependido por não conseguir fazer mais coisas boas; - confessava suas dificuldades ao seu Paizinho do céu.


Era o seu Deus Altíssimo



Miguel, sentado no último banco do templo, sentia seu coração sacudido e pequeno. Perguntava-se a todo o tempo;

- Como pode vir a ser isto? Ele que tinha nome de arcanjo, não conseguia sentir a presença e nem tampouco reconhecer com clareza a voz  do ser supremo a quem denominavam Deus.

Olhava para Fernando, uma vida tão sofrida, acusado injustamente de tantas coisas e ainda assim, recolhia todas as afrontas e mentiras que lhes atiravam e as entregava com lágrimas à Deus.



Miguel sentia dores e inveja. Apesar do nome, não era nenhum pouco divino.



"Ouvistes o que foi dito: amarás o teu próximo, e aborrecerás o teu inimigo. Eu, porém, vos digo: amai os vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam, e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem" Mt. 07: 43,44

Nenhum comentário: