segunda-feira, 19 de março de 2012

ritmos e moinhos de vento






Encabulado, ele a olhou com os olhos rasos d'água e mirando o vazio da paisagem que se estendia em sua frente - o menino suspirou e disse;


- Como você soube?

- O quê?

- Que estava assim - apaixonada


A menina, que sentia aquela sensação sem nome por dentro - sorriu


- Eu não via mais nenhuma flor em meio ao asfalto, e mesmo assim, eu ria


2 comentários:

Rebeca Postigo disse...

Ahhhh...
Que encantador...
Adorei!!!

Bjs!!!

Inercya disse...

Pois é assim mesmo. Coisas sem sentido começam a fazer sentido *-*