sexta-feira, 30 de julho de 2010

[Palavras Mil]



Para o meu tal Amor


Oi Amor,

Parece-me muito complicado escrever para ti nessas circunstâncias. Mas como você insistiu tanto e eu lhe prometi que faria, estou lhe escrevendo.

Talvez você não lembre nem do seu próprio nome e também, nem saiba que eu existo ou existi em você, isso, se o que muitos dizem sobre o outro plano nos fazer perder a memória for mesmo verdade.

Para que você saiba, o seu nome Amor, é Mário e você é o Meu Amor, mesmo estando aí, tão longe.

Na ultima vez que estivemos juntos, não faz muito tempo, mas acho que tempo, não é algo que você vai conseguir entender, mesmo que eu explique bastante, o tempo acaba quando a gente morre, então, quanto a esta ultima vez, foi uma manhã. Passamos boa parte dela conversando aqui na nossa sala e eu insisto em dizer nossa, pra tentar te fazer perceber o quanto nós nos pertencemos, porque estamos impregnados em algumas memórias terrenas, algumas coisas ainda possuem o nosso cheiro Amor.

Para que você saiba, nessa nossa ultima manhã, conversamos sobre o meu sonho da noite anterior, onde eu te via morrendo naquele acidente que lhe tiraria de mim fisicamente. Eu sabia que você não ia acreditar muito na possibilidade do sonho acontecer e que jamais desistiria da viagem, por isso, nem eu e nem você levantamos a hipótese de você ficar, só que você me surpreendeu quando ao invés de me dizer que aquilo era bobagem, que eu sonhei simplesmente porque tinha medo de acidentes de transito, você agiu completamente diferente.


Deslizou os dedos calmamente pelo meu rosto e com uma expressão serena me disse simplesmente para não me preocupar com nada, porque mesmo que você partisse os nossos sentimentos permaneceriam intactos, que eu teria as boas lembranças de cada gota de tudo que vivemos e de tudo que planejamos viver posteriormente, como se não bastasse, ainda me alertou sobre a possibilidade daquele sonho ser um aviso de Deus, um jeito dEle me dizer que eu deveria me preparar para seguir sem você e que talvez nem todos os avisos vindos do céu eram pra que deixássemos de fazer coisas, mas para que a fizéssemos sabendo de tudo e já preparando o mundo pra falta que nós iríamos fazer.

Eu ainda não compreendo como você conseguiu ser tão doce ao me dizer isso, porque a verdade é que você estava afirmando que o meu sonho poderia acontecer e que daí então eu não poderia fazer nada. A verdade é que mesmo tendo ouvido tudo que me pediu quanto a se a sua morte realmente se desse, eu não queria aceitar a possibilidade de você não voltar, mesmo que dentro de mim, essa fosse uma certeza relevante.

E então, eu aceitei bem quando você me pediu para que te escrevesse, porque você não queria ficar em outro plano sem saber quem você é/foi... E também disse que tudo bem quando me pediu para que não fosse velar o teu corpo, ou no enterro e que se possível eu não chorasse a sua partida.

Talvez porque ambos tivéssemos a certeza de que não fora um sonho bobo, você não me disse até logo na nossa despedida, mas depois de me beijar, sussurrou um adeus com os olhos marejados e eu não pude responder de forma diferente, também lhe disse adeus e fraca diante dos seus olhos, não deixei de permitir que as gotinhas despencassem dos meus olhos.

Quanto as lágrimas Amor, eu admito que eu não fui muito fiel a essa promessa. Não chorei na frente da platéia que se pôs a me consolar quando a notícia correu por todo o bairro, mas quando a noite caiu - principalmente aquela primeira noite - e eu me deitei debaixo do meu cobertor na tentativa de adormecer pra amenizar as dores, deixei algumas gotas encharcarem o meu travesseiro... Foi o único jeito Amor, de esvaziar a saudade que eu sentia de você.


Como te prometi, não fui velar o teu corpo e nem no seu enterro. Como você já esperava ninguém da sua família compreendeu a minha ausência e alguns estão dizendo, que de algum jeito a culpa de você ter partido é minha.

Não que isso me importa, porque realmente não importa, mas achei importante lhe contar.

E Amor, como lhe prometi estou lhe escrevendo.

Não espero que me responda, isso seria loucura. Mas quero que saiba que estou bem e feliz. Tudo que vivemos nesses instantes que passamos de mãos dadas aqui na terra, foi suficiente para você me ensinar muitas coisas e deixar muitas boas lembranças em mim.

Admito que existam momentos em que a vontade de chorar os meus ais me infestam os olhos e eu engulo o choro na tentativa de encontrar alguma recordação que leve a tua ausência pra longe do meu corpo e quanto a ele, o meu corpo, ele sente saudades do seu e dos seus braços ao redor dele... Mas não quero que se preocupe comigo. Estou realmente bem, ninguém acredita que uma garotinha de 19 anos que perdeu o seu grande Amor esteja tão bem quanto eu estou.

Acho que o meu bem estar, é por tudo aquilo que você me ensinou, ainda me lembro das suas palavras, que estão guardadas no meu caderninho vermelho:


“- Amor fará três anos um dia, três anos que nascemos na vida um do outro. Mais tarde, fará três décadas e depois três séculos. Pode ser que cheguemos até a três vidas, mas independente dessa coisa de tempo, a gente sempre vai saber que foi algo/alguém importante na história do outro...

Mesmo que um morra e com o tempo a gente olhe pra outros olhos e encontre o brilho do Amor de novo, e namore e case e viva uma vida de Amor com essa outra pessoa.

Mesmo que a gente se separe e resolva ser amigo de novo porque você ou eu encontramos alguma coisa boa em outra pessoa pra nós, não importa, já estamos inseridos na história, na vida um do outro.”


Então Amor, você já sabe que estou bem e espero que você também esteja. A gente se encontra quando o tempo acabar pra mim também, não sei quando vou sair desse plano e chegar aí, mas de qualquer forma, espero que possamos nos reencontrar e nos perceber. Queria saber se a gente envelhece quando chega ao céu e também estava pensando que eu tenho que morrer logo, não pode demorar muito tempo, se eu envelhecer, quando eu chegar, você nem vai me reconhecer.

Bom, depois eu vejo isso com Deus, e por falar nEle, já se encontraram?

Pergunto por perguntar, não espero sua carta de resposta, enfim...


Um Beijo

[daqueles que você mais gostava]



[Muitos procurando a associação com a imagen... Ainn vê quem quer e eu sinceramente não vou ficar triste se o P.P.M. desclassificar a minha carta. Quanto aos dois textos da Babi, eu posto um domingo e o outro na quinta, preguiça imensa essa semana pessoas/entendam! - Beijos a todos e obrigada por quem passa por aqui]

7 comentários:

Anônimo disse...

Enooooorme!haha!

Mas, ficou LINDO! Como eu já havia dito, por aqui posso colocar mais detalhes, senão meu comentário não teria graça se eu tivesse dito tudo pelo Msn! =P
Amei cada detalhe, adorei a idéia proposta no texto. Romântico, suave, um pouco triste. Muito bom gosto nas palavras... Me envolvi e tive paciência pra ler, tá? =)

Parabéns mais uma vez pela maneira de expressão que tem e pela maneira q envolve os leitores...
Beijooos

(Fláá)

Rodolpho Padovani disse...

Taaati, eu simplesmente amei esse, ficou perfeito, cada palavra dotada de uma emoção enorme... ficou triste e lindo ao mesmo tempo... Um amor além da vida, além dos tempo e maior até que a própria morte...

Nem tenho mais o que dizer, adorei muito.

Bjs =)

*Amanda* disse...

Nossaaaaa... esse ficou simplesmenteee perfeito!!!!
Emocionante... cheio de sentimento!
Ameiiiii horroresssss!!! rsrsrs
bjs*

Monique Premazzi disse...

GIGANTE O.O
KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
Valeu cada minuto lendo esse texto, muito lindo, perfeito, encantador! Você como sempre me surpreendendo amiga, eu já deveria ter me acostumado com isso, eu sei KKKK *-* PERFEITO!

P.S.: Amiga, desculpa por te deixar curiosa! Eu sei que sou malvada, mas prometo não fazer você esperar muito pela continuação. E eu postei ANGEL :) Beijinhos, adoro você :*

Irene Moreira disse...

Tati
Li sua história até o final e me envolvi. Confesso que achei bonito e triste. Quanto a associação com a imagem está na mente de cada um, pois se compararmos a vida com uma viagem e cada estação uma etapa da vida o que posso imaginar é que naquela imagem estão as pessoas que esperam a última viagem.
Boa sorte!!
Beijos e boa semana

Xandy Britto disse...

Amoreco,

adoro quando me visita e comenta. E fiquei feliz de saber que alguém se emocinou com aquela carta. De verdade, foi sincero. Fico feliz por ter gasto seu tempo escrevendo o comentário. Pra mim é muito importante ter esse feedback e você sabe que é uma leitora especial.

Volto aqui pra te ler, tá? Tá tarde e vou mimir. rs Bjokas.

XB

Sandra disse...

Desculpe o atraso. Infelizmente não pude vir antes. Estava com problema na net. Infelizmente estas coisas acontecem. E antes não deu. Ma tbém participei com a interação de maigos http://sandrarandrade.7blogspot.
Agora já estou com o novo tema. Postei antes em função de ir viajar. Passar o final de semna com o meu Pai. final é dia dos Pais.
vou deixar o link caso queira conferir.
http://sandrarandrade7.blogspot.com/2010/08/coletiva-das-palavras-mil-e-in-verbis.html
Embora ele estára na Plavras mil.
U,m grande abraço,
seu texto fiou super legal. Fla do amor, fala da vida...
Cada um de nós tem suas maneiras difernciadas de participar das coletivas.É ai é que acontecem a melhor parceira e troca de textos. são experiência e formas de pesar e dar conotações ao tema, de forma bela e diferenciada.Cada um com o seu estilo próprio de entimentos e comprenssão, tornando assim, um compartilhar super legal.
Gostei.
Parabéns.
sandra