sábado, 24 de julho de 2010

[Palavras Mil]

Foto retirada daqui

Sobre o meu Preferido

'A gente sempre tem um poeta preferido, ou vários que a gente goste mais

Eu gosto demais de Quintana e da maneira que ele desenha a própria vida e a vida ao seu redor. Porque é a vida desnuda em palavras que mais gosto de ler. Ver o poema despindo o poeta, o tornando nu diante dos olhos do leitor e ver que ele simplesmente se veste delas, dessas palavras que o despem, que o traduzem e o revelam.'


“Eu sempre achei que toda confissão não transfigurada pela arte é indecente. Minha vida está nos meus poemas, meus poemas são eu mesmo, nunca escrevi uma vírgula que não fosse uma confissão.” Mário Quintana



Escorre os olhos pela folha em branco, vê as palavras se lançarem diante de seus olhos

Saltam aleatoriamente. As cenas vão se desenhando linha após linha, mesmo sem ter tocado a pauta com a pena. Pouco a pouco o poema se desenha por si mesmo, sem esforço do dono da pena


Sorri despreocupadamente para a folha pautada e então respirando compassadamente rabisca os primeiros versos. A construção de um poema foi iniciada

.

Termina o tear, contempla o feito, sorri sem jeito.

Como chamar poema o seu cotidiano desenhado com a pena?

Abre a gaveta, deixa o papel guardado. E lá permanece por longo tempo


Até o dia em que o percebe lá esquecido

Não se lembra mais de qual fora exatamente o fato descrito ou quando ocorreu

E simplesmente briga e brinca com as palavras

Alterando-as, cortando-as. Concluindo o poema

.

E quem dirá que a poesia é diferente de uma vida descrita em versos

Ou que é distante de qualquer confissão pública de seus sentimentos mais ocultos

E ainda que um poema não é a vida do poeta e do que o envolve

Quem há que dirá que as palavras, tão somente as palavras, não valem nada?


Meu Bem a poesia é a arte de sentir a vida através das linhas das similaridades

É ver um tecido vermelho e enxergar todas as provocações que aquela moça vestida no vestido justo causará à quem a contemplar

E vendo essas tais provocações, descrevê-las das formas mais puras e intensas que as palavras nos permite fazer


Meu Bem a poesia é a arte de sentir a vida através das linhas da sensualidade

É notar aquele bailarino, deslizando pelo salão suavemente e perceber que ele quando menino teve medo do escuro, chorou no primeiro dia da escolinha, se apaixonou pela professora do terceiro ano, roubou flores pra primeira namorada, teve um amigo imaginário, sofreu quando a família passou dificuldades financeiras, aprendeu a conviver com as dores e a transpor as dificuldades... Poesia é se fascinar com os mínimos detalhes, até os inimagináveis


Meu Bem um Poeta é aquele que transforma a sua vida e a vida que acontece ao seu redor em versos em pautas fartas de palavras que revelam as sua sensibilidade, fraquezas e forças


Meu Bem um Poeta é um amante da arte das palavras, a arte que transcreve a vida e que desenha os cenários das sensações que o homem não vê e nem compreende e nem tampouco pode com exatidão traduzir


Meu Bem um Poeta é um homem que se arrisca e se entrega para as palavras

Sem se preocupar com o que elas farão dele

Sim, porque um Poeta Meu Bem, não é o dono das palavras como pensam


Ele é quem pertence a elas

E gosta muito de pertencer



“[...] O Profeta diz a todos: “eu vos trago a verdade”, enquanto o poeta, mais humildemente, se limita a dizer a cada um: “eu te trago a minha verdade.” E o poeta, quanto mais individual, mais universal, pois cada homem, qualquer que seja o condicionamento do meio e da época, só vem a compreender e amar o que é essencialmente humano. [...] “O que é poesia? Por que se tornou poeta? Como escreve os seus poemas?”A poesia é dessas coisas que a gente faz, mas não diz. A poesia é um fato consumado, não se discute; [...] Não sei como vem um poema. Às vezes uma palavra, uma frase ouvida, uma repentina imagem que me ocorre em qualquer parte, nas ocasiões mais insólitas. A esta imagem

respondem outras. Por vezes uma rima até ajuda, com o inesperado da sua

associação.” Mário Quintana











'Ba-bi... Deu preguiça de postar essa semana, então amanhã eu posto mais um texto pra você... E obrigada a todos que passam por aqui. Beijos'

5 comentários:

. disse...

muito lindo, é poema.

Babizinha disse...

Em particular quando vejo alguém perguntando: "de onde vem sua inspiração?" Eu penso que tal pessoa não olha para si, para o que sente e não percebe o mundo ao seu redor. E você conseguiu exprimir magestrosamente exatamente sobre o que e quem escreve.

As frases finais foram de arrebatar: "Poeta Meu Bem, não é o dono das palavras como pensam

Ele é quem pertence a elas
E gosta muito de pertencer"

E tudo ok, Ta-ti, entenda-se primeiro com a sua preguicite. ;D
Beijos
:*

Rodolpho Padovani disse...

Taaati, adorei esse, você além de td fez uma homenagem aos poetas de maneira excepcional... ficou maravilhoso...

Bjs =)

Sandra disse...

BOM DIA!!
BOM DOMINGO
A ARTE de escrever, está dentro de cada um ..
Nos manifestamos das manis belas formas de escrever.Seja nos contos, na poesia enfim... em todas as maneiroas.
Lindo texto.
Vou te esperar na interação para conferi o meu texto sobre os escritor. Cada um de nós tem na alma um pouco de poeta, um pouco de luz, que nos proporciona a escrever belos temas.
O coração e mente aerta proporciona bons momentos e juntos aprendemos cada vez mais. desenvolvemos este carinho, esta ato de escrever.
Um grande abraço. Seu texto ficou muito bom...Parabésn Mario Quintana, tbém gosto.
Hppt://sandrarandrade7.blogspot.com
Um feliz domingo para vc.
Sandra
TENHA UM LINDO DOMINGO. CHEIO DE LUZ E PAZ.

Irene Moreira disse...

Tati
Falar de Maria Quintana é mostrar a essencia, a arte de um poeta.
Como expressastes tão bem esse dom tão único. Parabéns.
Beijos e boa semana