sexta-feira, 16 de julho de 2010

[Palavras Mil]





A Bela Adormecida



A primeira mudança que fiz, foi com meus pais, eu tinha sete anos de idade e meu tesouro eram os livros que eu tinha ganhado de papai no ultimo aniversário e foram eles as únicas coisas que me preocupei em levar quando nos mudamos naquele inverno, mas não foram só eles que foram comigo


Mesmo passados muitos anos que tínhamos nos mudado, eu me recordava de todos os detalhes da casa antiga, gostava muito de deitar na relva fria da manhã para sentir o sol aquecendo meu corpo, enquanto minha mente passeava pelos lugares do passado


Minhas recordações sempre foram intensas, por mais que eu tivesse mudado de casa, de cidade, de amigos. Tudo continuava fazendo cócegas em meu estômago, me provocando aquele gosto bom de coisas que tinham sido bem vividas


Foi o sabor gostoso que se impregnou em mim da infância


Eu nunca neguei a minha incapacidade de tirar certas coisas dos olhos, das memórias e de todos os meus sentidos, sempre admiti minhas dificuldades em tirar da pele/do nariz/ dos olhos, todas as coisas que me embalaram durante os momentos em que os vivi, e mesmo hoje, sendo ‘gente grande’, as coisas não saem de mim


.


Mesmo assim, me permito essa mudança física, mudei de cidade, de vizinhos de amigos, a paisagem que contemplo todos os dias, mudei de emprego, o corte de cabelo o tom das roupas e o estilo, mudei até as músicas que ouço e os filmes que assisto e como se não bastasse mudei até os livros e os autores preferidos, até a minha fé eu mudei


Adiantou nada tudo isso, eu admito


Meu corpo ainda tem seu cheiro e ainda avermelha quando me lembro do calor do seu corpo e dos tons de suas palavras quando me desejava bom dia naquela condução pública onde nos encontrávamos todos os dias o que nos pareceu um simples capricho do acaso pra unir nossos passos e os nossos corpos


Como se não bastasse, o seu cheiro também não sai do meu nariz, tudo que se chega ao meu olfato tem a sua fragrância

Meus lábios desde muito tempo não encontram bom sabor após terem estados pregados aos teus e até mesmo a minha pele, caprichosamente, rejeita, se sentir aconchegada por qualquer toque, nada possui a maciez de suas mãos


.


Tudo que me compõe, invisivelmente, precisa de um pedaço de você para se tornar melhor, depois de você é como se eu tivesse adormecido. Todos os meus sentidos inexistem próximos de qualquer um, incrivelmente, é só você quem consegue despertar o melhor e o pior de mim ao mesmo tempo, só com você é que eu consigo ser inteira


Alguns até caçoam quando me vêem chegando pro trabalho, minhas olheiras são bastante visíveis e os meus olhos sempre inchados ou de chorar ou de dormir demais anunciam muito da sua falta nos meus dias e daí eu sou obrigada a ouvir as pessoas dizendo: - Olha a Bela Adormecida!


Eu sei que depois de você eu realmente adormeci - como alguém que morre por dentro tornando-se incapaz de sentir as coisas do corpo


.


Só gostaria que você soubesse que mesmo você tendo feito tudo o que fez, mesmo tendo me feito sentir tudo que senti por você; - Eu o amo, seu desgraçado!


Meu corpo ainda tem as formas de tuas mãos e ainda guardo aquela camiseta vermelha que você usava na noite em que estivemos juntos pela ultima vez e meu rosto, sente saudades de quando você passeava sua barba semi-crescida por ele, roçando de leve e fazendo o meu rosto rubro, enquanto meu corpo afogueava aos poucos


.


Mesmo sabendo que você é um pouco desmerecedor de tudo isso que eu sinto eu não consigo enfiar a mão dentro do meu coração e te tirar daqui, assim como não encontro jeito de tirar você das minhas lembranças/da minha pele/do meu nariz e dos meus olhos


Mudei de cada, de móveis, de emprego

Só não mudei de amor, continuo amando/desejando você



"Não tem mudança que afaste essa lembrança, pois sua imagem se reflete em meu desejo. Não há disfarce que disfarce a sua falta, porque eu amo você" Biafra - Nilo Pinta - Aloysio Reis



[Bom Ba-bi... Esse é o segundo post dedicado a você de aniversário - Eu fiz sete, ia postar um por dia - de domingo até amanhã, mas como passou, só postei dois até agora e os demais posto na semana que vem - quando você desafogar e desanuviar do vestibular - Sei que não ficaram 'os textos' mas foi o que deu pra fazer - esse que estou postando hoje, acabei alterando ele hoje a tarde depois daquilo tudo... haha... Bom é isso... E eu fiquei imensamente feliz que tenha gostado do anterior e da notinha de aniversário... Te amo e aos demais que lêem aqui - Obrigada gente]

11 comentários:

Rodolpho Padovani disse...

Adorei esse Tati
"Mudei de cada, de móveis, de emprego
Só não mudei de amor, continuo amando/desejando você"

De amor não dá pra mudar msm, quando é amor de verdade...

Bjs =)
E tô no aguardo dos outros.

Babizinha disse...

rs "Eu o amo, seu desgraçado!" É essa mesma a frase.

"...depois de você é como se eu tivesse adormecido." Sim, é essa a sensação. Incrível como você captou o que eu disse, e misturou o fictício com o real e à imagem.

Ah, amei tudo! E me fez rir. (:
Boa sorte!
Beijos
:*

Colhendo, né Amor!? disse...

Menina...


Lindo demais, como sempre.

Me identifiquei

Beijos

Monique Premazzi disse...

Não adianta correr do que se sente, isso é um grande fato. Podemos mudar de país, ir para o outro lado do mundo que o coração continua intacto lá com o mesmo sentimento como se não tivesse ido a lugar algum.

AMEI *-*

p.s: Não me mate por causa de Angel o.o Sério, proxima atualização eu posto a continuação, porque eu sou rapida ok? KKKKKK Culpe a louca da Anna Carolina ):

xx

Irene Moreira disse...

Tati
Foi brilhante esse conto da Bela Adormecida. Adorei o final
" Mudei de cada, de móveis, de emprego
Só não mudei de amor, continuo amando/desejando você"
Beijos

Clara disse...

Olá, querida!
Bem,é isso. Às vezes eu tenho mesmo a esperança de mudar, de ser uma pessoa completamnete diferente. Só que é impossível, seja lá como formos, sempre sobra alguma mania. Mania de nostalgia, mania de sonhadora, mania de saudade :)

Seu texto fala um pouco de mim :)

MAILSON FURTADO disse...

Agradeço desde já o comentário em meu espaço e a crítica construtiva...

Agradeço...

Muito bom o texto...

Livre...

Parabéns!!!

Bruna Bianconi disse...

"Mudei de cada, de móveis, de emprego
Só não mudei de amor, continuo amando/desejando você"

Foi esse um dos textos mais lindos que eu já li, adoro quem escreve de verdade sobre os amores, sempre fica lindo.

Beijos

Patrícia Azevedo disse...

Adorei! É muito interessante como uma imagem pode guardar tanta inspiração.. parabéns por dar vida à elas! Estou te seguindo e estarei sempre por aqui, viu? Te espero lá no meu cantinho! Beijos, que Deus te abençõe!

Monique Premazzi disse...

Você tem total razão sobre o comentário lá no post. Se nos estamos dispostos a passar por cima do erro, de assumir, nada é impossível.

p.s.: quando eles demoram muito? tipo, muito grande? minha cabeça anda muito dificil amiga ;/ sei lá o que anda acontecendo, mas estou tentando voltar a ser como era antes.

Ju Fuzetto disse...

Flor!!

Que coisa mais linda!!

Amei, perfeito, boa semana!!

beijocas