sábado, 19 de junho de 2010

[In Verbis]

Do dia em que meu corpo se vestiu com suas carícias



Vou te contar como tudo começou, mas eu te peço Amor, perdoe-me se eu me esquecer de relatar algum detalhe, se entre os meus rabiscos, faltarem riscos do nosso início

.

Os seus lábios já não sabiam sorrir, e seus olhos, não emitiam encanto... Ouvia tua respiração no banco ao lado e sentia, àquela distância, os desejos soltos nos seus poros, todos os sentimentos te vencendo,

Um frenesi de excitação passou por mim, quando notei a sua mão escorregar do volante e caminhar vagarosa e intensa na direção de minhas coxas mal cobertas... Tocou-me, a mão quente, toque suave, doce, gentil


Sobrepus minhas mãos na sua, impedindo que seus desejos escorressem em meu corpo, virando à palma de sua mão para cima, segurando teus desejos nos meus dedos longos, seus lábios sorriram sem jeito, devido à insegurança pelas vontades que não conseguia mais esconder,

Fechou e abriu os olhos, tentando se concentrar na estrada e se desligar de mim


.


E eu respirei preocupada quando você parou na frente de minha casa. Eu não sabia o que fazer e o que dizer, estava tudo tão visível ali... Nós nos queríamos, nos desejávamos e isso era tão forte, tão intenso e perigoso,


Desgrudei tuas mãos das minhas e a coloquei em tua própria perna e desejei boa noite, foi aí então, que suas mãos escorregaram para o meu rosto... Tão suave e tão doce, sussurrou baixo me pedindo para ficar, e eu por minha vez,


Fechei meus olhos... Sorvi o cheiro de sua saliva, enquanto se aproximavas

Degustei o sabor dos seus lábios quando tocaste os meus com os teus... Tão intenso e demorado


.


Te vi em silêncio, olhando para frente, olhos fixos em um ponto qualquer... Mordi meu lábio inferior e perguntei: - Porque tudo isso?

Despreocupada como sempre, disse sem medo em um sussurro bem perto do meu pescoço: Sei lá também.


E deslizou a mão até minha nuca e ficou ali, brincando com os dedos de me acariciar

Bem leve. Sussurrou pedindo pra eu ficar mais um pouco... Fiquei


Senti que após os dedos, deslizou os lábios, suaves e quentes, mornos o suficiente para me entorpecer


.


Foi assim moça, assim que você acabou com aquele sonho todo de que seríamos amigas para sempre,

E me ensinou a te querer com o meu corpo.



‘Vou te contar os olhos já não podem ver... Coisas que só o coração pode entender. Fundamental é mesmo o amor. É impossível ser feliz sozinho... ‘

7 comentários:

Alessandra Almeida disse...

OMG, Tati, que texto em, me deixou sem fôlego junto com a moça, nossa, conseguiu como sempre relatar as doçuras de um beijo e de uma paixão.

Beijos Tati!

Irene Moreira disse...

Tati
Essa história me balançou menina.
Muito bem escrito e um tema que tem que saber ser levado.
Bom demais.
Beijos

Doce Nostalgia disse...

QUE LINDOOOOOOOOOOOOOOOOO!!!!!

nossa fiquei boba lendo *-*
Perfeito Tati!!!!

Parabens!!!

Beijos linda!

Deyse Batista disse...

História extremamente doce e tocante, a sua. E toda a narração bem sutil combinou perfeitamente com o trecho da música no fim. Muto bom, mesmo :)

Beijos.

Grafite disse...

descrição perfeita em uma bela construção de palavras,
Parabéns!

beiijo,
*.*

Chica disse...

Maravilhoso ,Tati! Linda históriua e participação!beijos,chica

Flávia disse...

Gente, eu estremeci sentada aqui lendo! Que lindo!
Mergulhei em cada linha do texto, me sentindo parte daquilo tudo que era sentido e vivido...

Bastante intenso! ;)

Parabéns!
Beeijos*