sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Eu, Personagens

Foto retirada Tumblr



O que sou não revela tudo que fui e, nem tampouco transparece o que eu poderia ter sido. A minha urgência é em poder ainda, contemplar sorrisos de quem me reconheça ao certo.

Depois que o tempo se passou e a juventude também, sonhos e grande parte do que compunha a minha identidade ficaram para trás. Sou outros personagens. Fruto da visão e conclusão daqueles que me observam quando me veem passar. Sou esses personagens. Mesmo que eles não saibam a minha história ou conheçam os meus sonhos. Mesmo que ninguém me reconheça.

Nas ruas, estou em público. Uma a uma, as pessoas me desenham nos seus olhos. Sou seu personagem. Cada ser me vê do modo que bem quer que eu seja e me desenham em suas ideias, formando até mesmo, o meu caráter. Em público, eu sou vários e sou nenhum. Dentre os personagens criados, nenhum possui a minha essência ou transparece a minha verdadeira imagem. E só aquela que fez a minha história existir, saberia dos personagens que sou, fui e posso ser. Só ela, acertaria a minha essência.

Ela, contudo, se esqueceu de que eu existi e que eu tenho uma história, que com todos os meus personagens ela se relacionou e desenhou momentos. Ela apagou a minha pessoa. Sou personagem esquecido.

E o esquecimento é a perda da memória, viver sem saber que viveu, ter sonhado e realizado e não saber o que é sonho. É não lembrar que possui uma história, não ter história nenhuma para si mesmo. O esquecimento é não saber quem é si mesmo e muitas vezes, quem foi o outro em você.

E o que me importará se minha sombra contar que fui artista e ela, bailarina minha? Se ela não lembrar, passaremos lado a lado, toparemos nossos olhos, e sentindo, mas sem saber o que é ela não vai saber que fui seu personagem. Ela já esqueceu, e sem ela, ainda que eu me recorde, sem ela saber, eu não tenho uma história, não me vale ser, nenhum desses personagens que se desenham em qualquer par de olhos.



*Resolvi postar novamente, porque estou vivendo um momento assim, de ser, Personagens - Sinto que ando me tocando entre eles *

16 comentários:

DILERMArtins disse...

Mas bah, guria.
Linda participação!
Parabéns.

Essência e Palavras disse...

Belo, tati, belo!

beejos!

Alessandra Almeida disse...

Belo é pouco. "O esquecimento é não saber quem é si mesmo e muitas vezes, quem foi o outro em você." Ficou lindo isso, e é uma verdade que não tem como contestar.
Adorei Tati!

Raphael Trew disse...

Olhos que se transformam em palcos, que colher personagens para suas histórias fantásticas, onde nunca saberemos se somos vilões ou mocinhos.

Prazer é meu em te receber em meu mundo.

Estarei aqui sempre que seu coração se derramar em palavras.

@Jota disse...

Oi concorrente, rs!
Você me fez lembrar uma aula que tive na faculdade. Tudo se resume a uma simples frase: "Sou o intervalo entre o que os outros pensam de mim e o que penso de mim mesmo".
Gostei do texto, tem tudo pra ganhar!

Obrigado pela dica, é que sempre eu escrevo em um ritmo e alguns não conseguem acompanhar. Mesmo assim, obrigado!

Silvia C. Barbosa disse...

Meu Deus.
Lindo demais. Dizer que adorei, é muito pouco.
Beijos

Expressivas Impressões disse...

Gostei muito desse texto.

@Jota disse...

Ah, de qualquer forma é uma competição. Olha, desculpa se vc me entendeu mal, mas quando falei do ritmo não estava me referindo a você, me perdoe se ficou essa impressão. Beijoss =*

Deyse Batista disse...

Achei o texto uma coisa fantática! :)
Fora que super perfeito usá-lo com essa imagem, achei o encaixe fundamental.

Beijos.

Jamylle Carvalho disse...

Lindo!
1º lugar, com certeza *.*

Doce Nostalgia disse...

"O esquecimento é não saber quem é si mesmo e muitas vezes, quem foi o outro em você."
Vou concordar com a Moça lá de cima, essa frase ficou linda!
Não só a frase o texto todo *-*

Amei!

beijos flor!

Bell Souza disse...

Oi Tati! Você é sempre muito bem vinda no meu blog e sobre esse texto, bem, eu acredito qeu algumas coisas são grandes demais para se expôr em palavras. O silêncio por si, demonstra tudo.

Monique Premazzi disse...

Texto perfeito! Você escreve perfeitamente bem Tati, sério. Queria ser como você *-* Boa sorte no Palavras Mil.

xx

Clara disse...

Penso que o que nós fomos, o que somos e o que seremos nem sempre se encontram. A vida nos molda, somos 'metamorfoses ambulantes'. O Passado, o presente, as situações diferentes que vivemos trazem personagens,partes de nós. Ninguém é um só personagem, somos todos múltiplos. Às vezes não nos reconhecemos em certo papel... Daí as crises de indentidade.

*EEEi,como você é querida! Obrigada por sempre marcar presença no meu humilde blog... Peço desculpas pelo aparente descaso. Saiba que fico muito feliz por ter 'leitoras' como vc.^^

Abraço!

DILERMArtins disse...

Mas bah, guria.
Fico feliz em vê-la no alto do "pódio", parabéns.
Abração.

Ju Fuzetto disse...

Lindo, lindo texto!!!

Os personagens são definidos nos pensamentos....


Um beijo, adorei seu cantinho